Olá!

Olá! Seja Bem-vindo à Farmácia Viva!

sexta-feira, 2 de março de 2012

Cajazeira

NOME POPULAR: Cajazeira
NOME  CIENTÍFICO: Spondia mombin L.
FAMILIA: Anacardiaceae

CARACTERÍSTICAS GERAIS

Árvore de até 25m de altura,  frutífera silvestre no  Norte e Nordeste do Brasil, com folhas compostas de 3 a 8 pares de folíolos de forma oval-lanceolada com margens serradas quando bem jovens, fruto do tipo drupa , de cor amarelo-alaranjado e sabor ácido, com cerca de 1 polegada de tamanho. A mudas são comumente  produzidas por estaquia (galhos), pois frutificam logo após um ano de seu plantio. Mas pode ser também por sementes. Ocorre na mata Atlântica de tabuleiro nos estados do RJ, ES e sul da BA.

USO

São usados principalmente os frutos na preparação de deliciosos refrescos e sorvetes. O extrato das folhas tem propriedades   moluscida e antiviral, agindo sobre o vírus da herpes labial, da angina herpética e contra o vírus Cocksaquii responsável pelos surtos periódicos de aftas dolorosas, especialmente em crianças. Para o tratamento caseiro de herpes labial pode-se usar seis a oito folhas frescas por dia, mastigando-as lentamente, ou então preparar o cozimento por fervura de 50g das folhas e ramos finos em um copo d’água que, depois de passado através de um pano fino, deve ser renovado a cada 2 dias e, durante o uso mantido na geladeira; usa-se em bochechos e compressas locais por 5 a 10 minutos, uma ou mais vezes ao dia, durante  as crises, mantendo-se o tratamento por mais dois dias depois de passada a crise. Para o tratamento de aftas e da angina herpética pode-se usar as folhas da mesma maneira acima e o cozimento em bochechos e gargarejos três ou quatro vezes ao dia. Nos casos de herpes genital, coloca-se diariamente, ao deitar, um absorvente interno (tipo O.B) e, em seguida, com auxilio de uma seringa, introduz-se cinco a dez mL do cozimento.

Referência: 

HARRI, LORENZI, F.J. A. Matos, 2008  Plantas Medicinais: no Brasil:  nativas e exóticas, 2 ed.  Nova Odessa, SP: Instituto Plantarum

Um comentário: